Aproveite o espetáculo do pôr do sol de João Pessoa ao som do saxofone

  • 07/04/2017

Aproveite o espetáculo do pôr do sol de João Pessoa ao som do saxofone

Há 16 anos ininterruptos, Jurandy do Sax é atração turística na Praia do Jacaré, em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa. Ele entrou para o Livro dos Recordes como a pessoa que mais executou o clássico Bolero, de Ravel, no saxofone. Ir a João Pessoa e não ver esse espetáculo brindado pelo pôr do sol é quase um pecado. Todo fim de tarde, o artista de cabelos longos amarrados com um rabo de cavalo, vestido de branco da cabeça aos pés, baixinho, barriga saliente e cheio de charme, surge em um pequeno barco e dá o seu show, até que o sol desapareça no horizonte. Você escolhe de onde quer se emocionar: de um dos quatro catamarãs que levam os turistas para um passeio pelo Rio Paraíba ou da margem. O importante é não perder o momento.

Aos 60 anos, é o artista que encanta os visitantes. São mais de 5,6 mil apresentações na praia fluvial, que não tem bicho jacaré. E sem folga. Para ele, cada dia proporciona uma nova sensação. A emoção está sempre presente e é ela que nos dá força para continuar. Paraibano, nascido em Água Branca (mas criado em Livramento), ao fim do espetáculo, ele sobe em um dos catamarãs e toca outros clássicos, para o delírio dos turistas. Mais flashes, muitos aplausos, autógrafos e, depois, o artista deixa o local. No outro dia, ele volta. Ele não pensa em parar. A plateia agradece.

Há 23 anos, ele tocou o Bolero pela primeira vez na Praia do Jacaré, para divulgar o disco que abriu as portas para sua carreira musical. Fez tanto sucesso que passou a se apresentar diariamente, no mesmo lugar, desde 2000. Mas o espetáculo mais festejado mesmo na Jacaré é o Sol, que, ao se pôr, colore o céu em tons de vermelho, alaranjado e amarelo. Aplausos efusivos, reverências e homenagens.

Para ver toda essa beleza, é importante chegar à praia pouco antes das 16h. Os catamarãs se deslocam a partir desse horário. Em 1h20min de passeio, os turistas se divertem nos barcos ao som de muito forró. Quem quiser pode dançar, inclusive, com personagens vestidos a caráter, como Lampião e Maria Bonita. É uma festa só.

Ao descer do barco, se renda ao passeio pela feirinha de artesanato às margens do Rio Paraíba para conhecer os produtos locais. Reserve um dinheiro porque, certamente, você vai querer levar uma lembrancinha para casa. No ano passado, por decisão judicial, os bares que estavam instalados no local tiveram que fechar as portas, por estarem em uma área ambiental. Nada que atrapalhe o espetáculo diário do pôr do sol mais sedutor da Paraíba.

Extremo das Américas

João Pessoa tem o ponto oriental extremo das Américas, que fica na Praia da Ponta do Seixas. Lá, o Sol nasce primeiro. No alto de uma falésia gigante, está o Farol de Cabo Branco, que indica o marco. O lugar é ponto obrigatório para os turistas que vão à capital paraibana, cujos moradores se orgulham de dizer que a cidade é tranquila, sem trânsito caótico e muito acolhedora. Aqui, dá para passear à noite na praia tranquilamente.

Não pense em subir de carro para conhecer o farol, que foi inaugurado em 1972 e tem o formato triangular, ao contrário dos demais espalhados Brasil afora. O design é uma alusão ao sisal, uma planta típica do semiárido. O acesso de automóvel ao monumento está restrito por conta da enorme falésia, que fica maior a cada dia. Depois do desmoronamento do muro de contenção, decidiu-se pelo impedimento.

Mas os turistas podem deixar o carro próximo e subir a pé, sem muito esforço. Além da vista deslumbrante do mar lá do alto, eles poderão tomar um sorvete de caipirinha. Essa delícia caseira é feita por Célia Costa, que está há 18 anos no mesmo lugar. Mas a sua invenção é mais recente — 10 anos. Sorvete comum tem em todo lugar. Então, decidiu fazer de caipirinha por causa da fartura de cana-de-açúcar na região.

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/

Nossos Informativos